4 de jul de 2014

Sonho Negro

Assim, estrangeira ao céu e à terra,
eu vivo e já não canto mais.
É como se afastasses minha alma peregrina
tanto do inferno quanto do céu.

Trecho do poema "Sonho Negro" de Anna Akhmátova. 1917.

Nenhum comentário: