30 de jul de 2014

Azulado

Eu canto para os que cruzaram a linha, ousaram sentir a força do invisível
Que derreteram suas cabeças sob um céu estrelado
Eu canto para os meninos e meninas assassinados por uma metralhadora
Que viveram e morreram cedo, imaginando o paraíso
Eu canto para os meus velhos amigos, perdidos no tempo ou numa esquina qualquer
E pra quem se arrebenta de saudade e adormece chorando
E um pouco pra nós que somos loucos
Eu canto pra nós que somos loucos
...
(azulado)

Nenhum comentário: