13 de abr de 2013

Celebração da Coragem

A direita mesquinha e a esquerda puritana dedicam boa parte de seus fervores discutindo se Salvador Allende suicidou-se ou não. Allende tinha anunciado que não sairia vivo do palácio presidencial. Na América Latina, é tradição: todos dizem a mesma coisa. Depois, na ora do Golpe de Estado, correm para o primeiro avião.

Tinham se passado muitas horas de bombas e fogo e Allende continuava combatendo entre os escombros. Então chamou seus colaboradores mais íntimos , que resistiam com ele, e disse:

- Desçam, que eu já vou.

Eles acreditaram e  foram embora, e Allende ficou sozinho no palácio em chamas. Que importa de quem foi o dedo que disparou a bala final?

O Livros dos Abraços. Eduardo Galeano. Ed. L&PM, 2005. Página 260.

Nenhum comentário: