8 de mar de 2013

Deixa-me, uma última vez, berrar a minha queixa amarga.

"Mas a mim
nenhum som deixa alegre
afora o som do teu nome bem-amado.
Não vou me jogar pela janela,
não vou tomar veneno
nem apertar o gatilho contra a minha cabeça.
Para mim
não existe lâmina nem faca
a não ser o teu olhar.
Amanhã esquecerás
que te coroei,
que o amor incendiou a minha alma em flores
e o vão carnaval dos dias que se foram
vai dispersar as páginas de meu caderno...
As minhas palavras, folhas mortas,
poderão forçar-te
a parar
sem fôlego?

Ao menos deixe-me
cobrir de um último carinho
teu passo que se afasta."

[Trecho do poema "Minha Pequena Lila" de Maiakóvski]

Nenhum comentário: