12 de mar de 2013

América Latina

¡Hola compañeros latinoamericanos! Através da página da revista Vírus Planetário no facebook, descobri esta bela canção da banda Calle 13, chamada Latinoamérica (inclusive com a participação da Maria Rita). Ao final do post, o clipe da música, com legendas em português. Também vale a pena conferir o vídeo da banda Calle 13 tocando essa música juntamente com a Orquestra Sinfônica Simon Bolivar


Latinoamérica

(tradução)

Eu sou ... Eu sou o que eu deixei
Estou muito bem o que foi roubado
Uma aldeia escondida no topo
Minha pele é de couro, por isso aguenta qualquer tempo
Eu sou uma fábrica de fumo
Mão de obra camponêsa, para o seu consumo
Frente fria no meio de verão
O Amor nos Tempos do Cólera, meu irmão!
Eu sou o sol que nasce e o dia que morre
Com os melhores pores do sol
Sou o desenvolvimento em carne viva
Um discurso político sem saliva
As mais belas faces que conheci
Sou a fotografia de um desaparecido
O sangue em suas veias
Sou um pedaço de terra que vale a pena
Uma cesta com feijão, eu sou Maradona contra a Inglaterra
Anotando-te dois gols
Sou o que sustenta minha bandeira
A espinha dorsal do planeta, é a minha cordilheira
Sou o que me ensinou meu pai
O que não quer sua pátria, não quer a sua mãe
Sou América Latina, um povo sem pernas, mas que caminha
Hey!


Você não pode comprar o vento
Você não pode comprar o sol
Você não pode comprar chuva
Você não pode comprar o calor

Você não pode comprar as nuvens
Você não pode comprar as cores
Você não pode comprar minha alegria
Você não pode comprar as minhas dores


Tenho os lagos, tenho os rios
Eu tenho os meus dentes pra quando eu sorrio
A neve que maquia minhas montanhas
Eu tenho o sol que me secar e a chuva que me banha
Um deserto embriagado com peyote
Uma bebida de pulque para cantar com os coiotes
Tudo...




Nenhum comentário: