13 de jan de 2013

Janis e o começo de uma nova era.

Para minha alegria, meu pai consertou minha bicicleta, a qual decidi chamar de Janis Joplin, haha. Na verdade, "consertar", nesse contexto, significa que agora, pelo menos, vai dar para andar mais de 50 metros sem ter que parar para arrumar a correia. É claro que o pedal ainda está quebrado, o aro está torto e os freios funcionam apenas 50% do que deveriam funcionar. Mas quem liga? (minha preocupada mãe certamente!). Ontem já pedalei o suficiente para achar que ia ter um ataque do coração (é, o sedentarismo estava pegando geral). Hoje andei até o silo da Cotricampo na saída para a cidade vizinha - Humaitá. Não é muito, porém para meu segundo dia está bom. Certamente, irei mais longe a cada dia. Esperava ter companhia humana para os passeios, mas ainda estou à procura. Então fomos apenas Janis e eu, ao som de Steppenwolf.

Janis - A Bicicleta.

Janis e eu descansando em uma parada de ônibus. (É estranhamente divertido dar nome a um objeto).

Queridas pernas: tonificá-las-ei!

Uma paisagem relativamente bonita no caminho. Os melhores lugares demandam que eu vá mais longe. No caminho entre Crissiumal e Humaitá há algumas paisagens que realmente me encantam. Inclusive um lugar que, aos olhos dos despercebidos, pode parecer um simples potreiro, mas que eu costumo chamar de "meu-lugar-preferido-no-mundo". Minha meta é conseguir chegar até lá de bicicleta e tirar um foto.


2 comentários:

Gugu Keller disse...

Vc a chama de Janis Joplin porque ela te faz lembrar uma Mercedes Benz?
GK

Mariane Bach disse...

Hahaha! Ri muito com essa! Bem que eu queria que a Mercedes-Benz produzisse uma bicicleta pra mim. A pobre Janis está com os dias contados.