25 de jan de 2013

A vida toca no rádio.



Ontem à noite, voltando para casa de carro, tocava uma música no rádio, que já nos primeiros segundos prendeu minha atenção. Era bonita, calma, diferente. Logo percebi que eu nunca descobriria o nome daquela música, nem a qual banda pertencia. Era uma música digna de se tornar uma de minhas favoritas e, no entanto, tudo o que eu podia fazer era simplesmente ouví-la ali, naquele instante, pela primeira e última vez. Deste modo, fiquei em silêncio o caminho inteiro, aproveitando cada instante. De algum modo, isso me fez pensar na vida. Em como essa mesma música manifesta-se em nosso cotidiano, mas em melodias diferentes. A música são as pessoas, os gestos, os sentimentos. A música é o acordar ao lado de quem se ama. O sorriso bobo, o enlaçar de mãos, os olhares. A música é aquele encontro com os amigos. As gargalhadas ao fim da tarde, as discussões, as besteiras. É aquele momento que você está sozinho e sente-se parte de tudo. O vento, os pássaros, as estrelas, o pôr-do sol.

A vida toca no rádio e não se repete. Alguns até escrevem para um locutor, em busca de explicações ou quem sabe um replay. Mas a estação é desconhecida e a existência do locutor duvidosa. O que sei, e posso afirmar, é que cada um é seu próprio compositor.

[Em relação ao que acabo de escrever, parece-me um daqueles textos que apenas conquistam leitores fáceis. Aquele tipo de mensagem que se encontra nas redes sociais, seguida, geralmente, por uma bela imagem. Talvez não passe disso. Entretanto, aquele momento em que ouvi a música, realmente significou algo para mim e desencadeou algumas reflexões. Por isso, escrevo. E escrevo da melhor maneira que consigo. Sem dúvida, preciso melhorar, de modo que possa escrever algo pelo qual me orgulhe.]

4 comentários:

Francheska disse...

esse texto é como se um raio de luz tivesse te atravessado a alma, iluminando o universo através de teus olhos!

Gugu Keller disse...

Lindíssimo, Mariane!
GK

Marcelo Rutshell disse...

é mesmo um texto q, com facilidade, cativa leitores (creio q qlqr pessoa com um mínimo de sensibilidade se identifica com a analogia feita entre a vida e uma bela música - até então desconhecida)... mas é tbm um texto pelo qual podes sim orgulhar-te de tê-lo escrito... muito bonito mesmo... :)

p.s.: gostaria de poder te ajudar a ouvir mais vezes a música em questão (tanto no sentido literal como metafórico)... mas tbm não sei se você tem algum interesse ainda em ouvi-la ou se a mantém apenas como uma lembrança, "a vida toca no rádio e não se repete", talvez não a queira repetir e somente mantê-la com a magia daquele momento, guardando-a na memória, bela e perpétua)...

p.s. II: desculpa ter me "estendido" no comentário, mas não me contive em ficar apenas no "parabéns, belo texto", abraços...

Mariane Bach disse...

Olá Marcelo! Primeiramente, eu gosto de comentários grandes! HAHA. Eu não consigo lembrar da música, nenhum trecho. Creio que mesmo que eu a escutasse novamente, não saberia que é a mesma. Obrigada por comentar!