12 de out de 2012

O que não tem fim sempre acaba assim.

Não postarei mais no blog por algum tempo.
Um tempo que pode ser uma semana, um mês, ou o resto da vida.
Quem sabe?
E mais, quanto dura "o resto da vida"?
Um segundo, uma semana, um mês, 30 anos.
Quem sabe?


Eu não quero ser.


Uma bela música, abertura de uma das melhores séries que já vi - One Tree Hill.



I Don't Want To Be - Gavin Degraw

Eu não preciso ser nada além de um filho de um guarda de prisão
Eu não preciso ser nada além de um filho de um especialista
Eu não tenho que ser alguém além do nascimento de duas almas em uma
Parte de onde estou indo é conhecer de onde eu venho

Eu não quero ser nada além do que estou tentando ser ultimamente
Tudo o que eu tenho que fazer é pensar em mim, e eu terei paz de espírito
Estou cansado de olhar nos quartos em volta imaginando o que eu tenho que fazer
Ou quem eu devo ser
Eu não quero ser nada além de mim

Estou cercado por mentirosos por todos os lados onde me viro
Estou cercado por impostores por todos os lados onde me viro
Estou cercado por uma crise de identidade por todos os lados onde me viro
Eu sou o único que percebeu?
Não posso ser o único que aprendeu

Eu não quero ser nada além do que tenho tentado ser ultimamente
Tudo o que tenho que fazer é pensar em mim, e terei paz de espírito
Estou cansado de olhar nos quartos em volta imaginando o que tenho que fazer
Ou quem devo ser
Eu não quero ser nada além de mim

Posso ter a atenção de todos, por favor?
Se você não gosta disso ou daquilo
Você tem que partir
Eu venho das montanhas, a casca da criação
Toda minha situação foi feita do barro para a pedra
E agora eu digo para todos

Eu não quero ser nada além do que tenho tentado ser ultimamente
Tudo o que tenho que fazer é pensar em mim e terei paz de espírito
Estou cansado de olhar em quartos ao redor imaginando o que tenho que fazer
Ou quem devo ser
Eu não quero ser nada além de mim
Eu não quero ser
Eu não quero ser
Eu não quero ser
Eu não quero ser

O que guia a atuação dos vereadores?


No dia 7 de outubro foram eleitos cerca de 70 mil vereadores em todo o Brasil, 18,8 mil a mais que na última eleição, em 2008. Isso se deve basicamente ao aumento da população e a uma decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que resolveu elevar para nove o número de vereadores nos municípios com até 15 mil habitantes.

Esse número maior de vereadores quer dizer que a democracia se ampliou em nosso país? Temos mais parlamentares com a atribuição legal de fiscalizar o Executivo e de propor leis que, em princípio, devem defender o interesse público, buscar a melhoria da qualidade de vida dos munícipes, propor políticas públicas para assegurar direitos a todos os cidadãos. Mas, mesmo com mais parlamentares, ainda é difícil responder a essa pergunta.


Importa também avaliar quanto esses vereadores têm se mostrado efetivos no exercício do que as leis prescrevem como atribuições de seu mandato: as medidas de fiscalização do Executivo que propõem; os projetos de lei que apresentam; como participam da discussão e aprovação do orçamento público municipal, dos planos plurianuais.

O perfil dos vereadores eleitos nas legislaturas anteriores mostra um predomínio masculino − cerca de 88% são homens − e um grau de escolaridade que retrata o mundo das desigualdades em nosso país. Dos vereadores eleitos em 2004, por exemplo, quase a metade (48%) só tem o ensino fundamental completo e 77% têm o ensino médio completo.

Esses vereadores precisam se haver com os regimentos internos das câmaras municipais, com as formalidades e procedimentos da atuação legislativa, com o desafio de promover a fiscalização do Executivo, que por sua vez não apresenta transparência em seus processos e decisões e normalmente resiste a qualquer tipo de fiscalização.

É muito comum que as ofensivas das prefeituras para assegurar a maioria nas câmaras municipais, elemento importante da governabilidade, encontrem esses vereadores dispostos a negociar seu apoio, seja em troca de benfeitorias nas regiões que concentram seu eleitorado, seja em benefício próprio. É o velho clientelismo, que combina com a perpetuação das elites no poder. Os partidos políticos contam pouco nessa esfera municipal e, na verdade, pouco se diferenciam uns dos outros. E assim se formam maiorias nas câmaras municipais, seduzidas pelos executivos, que relegam suas funções atribuídas pela Constituição e pelas leis orgânicas municipais e passam a integrar a base de apoio do governo. Um governo, na grande maioria dos casos, que governa para poucos. Os vereadores que se mantêm independentes e críticos ficam confinados a uma atuação de minorias, com pouca capacidade para mudar procedimentos e essa lógica de balcão, a face visível da defesa de interesses privados.

Há uma combinação perversa que articula a precária formação da maioria dos vereadores com a ausência de projetos partidários para atender ao interesse público na sua cidade. Para não ser injusto com algumas importantes iniciativas, vamos dizer que essa é a realidade da grande maioria das cidades. Elas continuam gerando desigualdade, pobreza e exclusão. E os governos ou não querem, ou não podem mudar essa lógica.
Essas minorias que resistiram e se mantêm comprometidas com a defesa do interesse público são o que há de melhor nas câmaras municipais. É com elas que as entidades e os movimentos da sociedade civil que integram um campo político popular e democrático precisam se articular, dar força a esses mandatos e utilizá-los como canal de expressão política das demandas sociais e das pressões pela participação popular na gestão pública.

As câmaras municipais são um espaço de disputa de poder. Elas aprovam o orçamento municipal, definem políticas. A mudança no zoneamento urbano cria incríveis oportunidades de negócios para o mercado imobiliário, por exemplo. Mas algumas câmaras também aprovaram as Zonas Especiais de Interesse Social (Zeis), que definem favelas que, por projeto de lei, se tornam prioritárias para o investimento público.

Muitos dos problemas das cidades podem ser resolvidos se houver uma pressão efetiva por parte das entidades da sociedade civil que se organizam na defesa de direitos. É assim, tradicionalmente, que as políticas mudam: por pressão. Mas é preciso ter, dentro do parlamento, bancadas de parlamentares comprometidas com as demandas sociais e com os movimentos de pressão por mudanças. É aí que cresce a importância do vereador, que passa a ser um verdadeiro representante do interesse público e dos agentes de transformação social.

Fonte: Canal IBase.
Texto original de Silvio Caccia Bava, do Le Monde Diplomatique Brasil.

KISS!

Um pouco de Kiss pra animar esse blog.  :]

Detroit Rock City! 



Acontece que na vida a gente tem que ser feliz por ser amado por alguém.

A semana inteira
Fiquei esperando
Pra te ver sorrindo
Pra te ver cantando
Quando a gente ama
Não pensa em dinheiro
Só se quer amar
Se quer amar
Se quer amar.

- Não Quero Dinheiro / Tim Maia

Essa semana tenho resgatado alguns ícones nacionais, como Cazuza, Tim Maia, Cássia Eller, Lulu Santos...Os ouvidos agradecem. O coração também. Beijos, bom fim de semana.

8 de out de 2012

O castelo dos destinos cruzados.

Quando você me disse que não era nada
Daquilo que a gente sempre imaginou
Um vento frio soprou, uma janela bateu
Na noite escura da alma
Quando você me olhou daquele jeito
Que só você olhava
Um passarinho voou baixinho
Deixou pra trás tudo que acreditava
Quando as paredes e o teto caíram
Eu pensei que era o final
Mas era só o começo de um problema
Só um pesadelo normal
Lembra de mim, você me enlouquece
A cabeça diz que é besteira
Mas o coração não esquece
No castelo dos destinos que se cruzam no tempo
Ninguém liga se já foi ou se ainda pode ser
Uma criança que nasceu em 62
Uma mulher que eu conheci em 43
Os dias passam lentamente prá quem pensa nos dias
Semanas e semanas só pensando em você
O tempo pinga lento, dentro do meu talismã
Nas estrelas de centauro, hoje é o ontem do amanhã
Lembra de mim...
No castelo dos destinos cruzados
O viajante que chegou pode ser você
Eu fiz de tudo que eu pude para te esquecer
A morte vive aqui do lado só que a gente não vê
Uma pessoa que ficou perdida
Uma pessoa que caiu do céu
Uma pessoa que você já conhecia
Muito antes de nascer e que você perdeu.

O Castelo dos Destinos Cruzados / Engenheiros do Hawaii

Toda forma de poder é uma forma de morrer por nada.

O fascismo é fascinante, deixa a gente ignorante e fascinada.
É tão fácil ir adiante e se esquecer que a coisa toda tá errada.
Eu presto atenção no que eles dizem mas eles não dizem nada.

Falta pão, o pão nosso de cada dia.
Sobra pão, o pão que o diabo amassou.

- Toda Forma de Poder / Engenheiros do Hawaii

Perto.


I am the walrus.

Eu sou ele,
como você é ele,
como você é eu,
e nós somos todos juntos!

- The Beatles

2 de out de 2012

O Tempo

A vida é o dever que nós trouxemos para fazer em casa. 
Quando se vê, já são seis horas! 
Quando de vê, já é sexta-feira! 
Quando se vê, já é natal... 
Quando se vê, já terminou o ano... 
Quando se vê perdemos o amor da nossa vida. 
Quando se vê passaram 50 anos! 
Agora é tarde demais para ser reprovado... 
Se me fosse dado um dia, outra oportunidade, eu nem olhava o relógio. 
Seguiria sempre em frente e iria jogando pelo caminho a casca dourada e inútil das horas... 
Seguraria o amor que está a minha frente e diria que eu o amo... 
E tem mais: não deixe de fazer algo de que gosta devido à falta de tempo. 
Não deixe de ter pessoas ao seu lado por puro medo de ser feliz. 
A única falta que terá será a desse tempo que, infelizmente, nunca mais voltará.

- Mário Quintana