30 de set de 2012

Cecilia, you're breaking my heart! ♪

Olá pessoas! Naquele filme The Music Never Stopped (que eu já falei aqui!), o protagonista cantava uma paródia para uma moça chamada Celia, e era muito bonitinha! E agora quando eu estava ouvindo um álbum de Simon & Garfunkel eu achei a música original no meio, que até então, eu não sabia de quem era. Que nostalgia naquele momento! Agora não paro de escutar, adoro essa música! Esse filme é ótimo, a trilha sonora encantadora. E neste momento, eu estou muito viciada em Simon & Garfunkel! Beijos, até mais! :)


29 de set de 2012

O Pequeno Príncipe

O Pequeno Príncipe
Antoine Saint-Exupéry

Capítulo XXI




E foi então que apareceu a raposa:

− Bom dia – disse a raposa.

− Bom dia – respondeu educadamente o pequeno príncipe, que, olhando a sua volta, nada viu.
− Eu estou aqui – disse a voz, debaixo da macieira…
− Quem és tu? – perguntou o principezinho. – Tu és bem bonita…
− Sou uma raposa – disse a raposa.
− Vem brincar comigo – propôs ele – Estou tão triste…
− Eu não posso brincar contigo – disse a raposa. – Não me cativaram ainda.
− Ah! Desculpe – disse o principezinho.

Mas, após refletir, acrescentou:
− Que quer dizer ‘cativar’?
− Tu não és daqui – disse a raposa – Que procuras?
− Procuro homens – disse o pequeno príncipe. – Que quer dizer ‘cativar’?
− Os homens – disse a raposa – tem fuzis e caçam. É assustador! Criam galinhas também. É a única coisa que fazem de interessante. Tu procuras galinhas?
− Não – disse o pequeno príncipe. – Eu procuro amigos. Que quer dizer ‘cativar’?
− É algo quase sempre esquecido – disse a raposa – Significa ‘criar laços’…
  Criar laços?
− Exatamente – disse a raposa – Tu não és ainda para mim senão um garoto inteiramente igual a cem mil outros garotos. E eu não tenho necessidade de ti. E tu também não tens necessidade de mim. Não passo a teus olhos de uma raposa igual a cem mil outras raposas. Mas, se tu me cativas, nós teremos necessidade um do outro. Serás para mim único no mundo. E eu serei para ti única no mundo…
− Começo a compreender – disse o pequeno príncipe. –

Existe uma flor… eu creio que ela me cativou…
− É possível – disse a raposa – Vê-se tanta coisa na Terra…
− Oh! Não foi na Terra – disse o principezinho.
A raposa pareceu intrigada:
− Num outro planeta?
− Sim.
− Há caçadores nesse planeta?
− Não.
− Quem bom! E galinhas?
− Também não.
− Nada é perfeito – suspirou a raposa.
Mas a raposa retomou o raciocínio.
− Minha vida é monótona. Eu caço as galinhas e os homens me caçam. Todas as galinhas se parecem e todos os homens também. E isso me incomoda um pouco. Mas se tu me cativas, minha vida será como que cheia de sol. Conhecerei um barulho de passos que será diferente dos outros. Os outros passos me fazem entrar debaixo da terra. Os teus me chamarão para fora da toca, como se fosse música. E depois, olha! Vês, lá longe, os campos de trigo? Eu não como pão. O trigo para mim não vale nada. Os campos de trigo não me lembram coisa alguma. E isso é triste! Mas tu tens cabelos dourados. Então será maravilhoso quando me tiveres cativado. O trigo, que é dourado, fará com que eu me lembre de ti. E eu amarei o barulho do vento no trigo…
A raposa calou-se e observou por muito tempo o príncipe:
− Por favor… cativa-me! – disse ela.
− Eu até gostaria, – disse o principezinho – mas não tenho tempo. Tenho amigos a descobrir e muitas coisas a conhecer.
− A gente só conhece bem as coisas que cativou – disse a raposa – Os homens não tem mais tempo de conhecer coisa alguma. Compram tudo já pronto nas lojas. Mas como não existem lojas de amigos, os homens não tem mais amigos. Se tu queres um amigo, cativa-me!
− Que é preciso fazer? – perguntou o pequeno príncipe.
− É preciso ser paciente – respondeu a raposa – Tu te sentarás primeiro um pouco longe de mim, assim na relva. Eu te olharei com o canto do olho e tu não dirás nada. A linguagem é uma fonte de mal-entendidos. Mas, cada dia, te sentarás um pouco mais perto…

No dia seguinte o príncipe voltou.
− Teria sido melhor se voltasses à mesma hora – disse a raposa – Se tu vens, por exemplo, às quatro da tarde, desde às três eu começarei a ser feliz! Quanto mais a hora for chegando, mais eu me sentirei feliz. Às quatro horas, então, estarei inquieta e agitada: descobrirei o preço da felicidade! Mas se tu vens a qualquer momento, nunca saberei a hora de preparar meu coração… É preciso que haja um ritual.
− Que é um ‘ritual’? – perguntou o principezinho.
− É uma coisa muito esquecida também – disse a raposa. – É o que faz com que um dia seja diferente dos outros dias; uma hora, das outras horas. Os meu caçadores, por exemplo, adotam um ritual. Os meus caçadores, por exemplo, adotam um ritual. Dançam na quinta-feira com as moças da aldeia. A quinta-feira é então o dia maravilhoso! Vou passear até a vinha. Se os caçadores dançassem em qualquer dia, os dias seriam todos iguais, e eu nunca teria férias!
Assim o pequeno príncipe cativou a raposa. Mas, quando chegou a hora da partida, a raposa disse:
− Ah! Eu vou chorar.
− A culpa é tua – disse o principezinho – Eu não queria te fazer mal; mas tu quiseste que eu te cativasse…
− Quis – disse a raposa.
− Mas tu vais chorar! – disse ele.
− Vou – disse a raposa.
− Então, não terás ganho nada!
− Terei, sim – disse a raposa – por causa da cor do trigo.
Depois ela acrescentou:
− Vai rever as rosas. Assim, compreenderás que a tua é a única no mundo. Tu voltarás para me dizer adeus, e eu te presentearei com um segredo.

O pequeno príncipe foi rever as rosas:
− Vós não sois absolutamente iguais à minha rosa, vós não sois nada ainda. Ninguém ainda vos cativou, nem cativastes ninguém. Sois como era minha raposa. Era igual a cem mil outras. Mas eu a tornei minha amiga. Agora ela é única no mundo.
E as rosas ficaram desapontadas.
− Sois belas, mas vazias – continuou ele – Não se pode morrer por vós. Um passante qualquer sem dúvida pensaria que a minha rosa se parece convosco. Ela sozinha é, porém, mais importante que todas vós, pois foi ela quem eu reguei. Foi ela quem pus sob a redoma. Foi ela quem abriguei com o pára-vento. Foi nela que eu matei as larvas (exceto duas ou três por causa das borboletas). Foi ela quem eu escutei queixar-se ou gabar-se, ou mesmo calar-se algumas vezes. Já que ela é minha rosa.


E voltou, então, à raposa:
− Adeus… – disse ele.
− Adeus – disse a raposa – Eis o meu segredo. É muito simples: só se vê bem com o coração. O essencial é invisível aos olhos.
− O essencial é invisível aos olhos – repetiu o principezinho, para não se esquecer.
− Foi o tempo que perdeste com tua rosa que a fez tão importante.
− Foi o tempo que eu perdi com a minha rosa… – repetiu ele, para não se esquecer.
− Os homens esqueceram essa verdade – disse ainda a raposa – Mas tu não a deves esquecer. Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas. Tu és responsável pela tua rosa…
− Eu sou responsável pela minha rosa… – repetiu o principezinho, para não se esquecer.

Eu, estranho.

Este coração que é o meu continuará sendo sempre, para mim, indefinível.
 - Albert Camus

O Paraná deveria ser mais perto.

O que segue agora é, sem dúvida, uma história emocionante! ;)



Eu sinto falta da Carol, porque ninguém é a Carol.

Mari: Vamos olhar um filme? 
Carol: Sim! Pode ser Flicka?
Outros: Vamos! Que tal uma comédia romântica dublada?

O Paraná deveria ser mais perto.

Mari: Vamos cantar no karaokê?
Carol: Sim!
Outros: Ah não, eu não sei cantar em inglês.

O Paraná deveria ser mais perto.

Mari: Vamos jogar poker? 
Carol: Sim!
Outros: Ahh não, eu não sei.

O Paraná deveria ser mais perto.

Mari: A gente tinha que jogar basquete...!
Carol: Sim, é verdade!
Outros: Não, eu não gosto.

O Paraná deveria ser mais perto.

Mari: Vamos jogar um jogo? Worms, Mario, Plets com Confetti?
Carol: Sim! 
Outros: O quê? Não!

O Paraná deveria ser mais perto.

Mari: Vamos tomar tererê? 
Carol: Sim!
Outros: Sim! (tererê ninguém recusa!)

O Paraná deveria ser mais perto.

Mari: Vamos ouvir música celta e cozinhar alguma coisa?
Carol: Sim! Que tal rosquinhas?
Outros: Que porra de música é essa que tu colocou para tocar?

O Paraná deveria ser mais perto.

Mari: How are you Queroláine?
Carol: I'm fine!
Outros: ? (não dá pra conversar em inglês embromation com os outros!)

O Paraná deveria ser mais perto.

Mari: Vamos fazer sei lá o que, sei lá aonde, agora?
Carol: Sim!
Outros: Não.

O Paraná deveria ser mais perto.

Eu odeio o não. E os outros são sempre o não. O quanto será que eu sou um não para as outras pessoas?

Sei lá. Só sei que...

...O Paraná deveria ser mais perto. 



27 de set de 2012

Desenho com nanquim

Olá! Minha irmã me presenteou com uma caneta de nanquim no meu aniversário, e esse é o primeiro desenho que fiz com ela. Ainda não conseguia usar direito, ficava escorrendo tinta. Caiu um enorme pingo de tinta na folha e tive que improvisar transformando-o numa flor. A frase (que não tem a ver com o desenho) é da música No meio de tudo - Engenheiros do Hawaii.



22 de set de 2012

Unhas com Glitter :)

Olá pessoas! Eu vi uma foto de unhas com glitter colorido e achei muito bonito! Daí eu fui tentar fazer, mas eu só tinha glitter azul e é claro que as minhas não ficaram boas. No entanto, eu gostei mesmo assim! 

Pessoalmente era melhor, ou não.
*----*

20 de set de 2012

Cabelo Roxo ;)

Pintei meu cabelo de roxo (alguns dizem que é azul) em casa, com papel carbono e um pouco de água. Ficou muito bom, as pessoas pensaram que foi feito no salão, rs. Precisa ser aquele papel carbono que solta uma tinta roxa quando tu encosta, nem sei se ainda fabricam isso, os que tenho em casa são de 1900 e alguma coisa. Sempre saía na primeira lavagem, mas agora não está saindo nada fácil, porque eu havia descolorido as pontas. Gostei bastante, vou pintar mais vezes!

PS: Feliz dia do gaúcho! ♥  :)


Amigos,

quando você está triste eles te deixam comer o último pedaço de pizza.

Pessimista

Me disseram
que a vida é um morango.

"- Cheio de agrotóxico", eu acrescentei.

17 de set de 2012

Piano Bar

Ontem à noite, eu conheci uma guria
Já era tarde, era quase dia.
Ontem à noite, a noite tava fria
Tudo queimava, nada aquecia
Ela apareceu, parecia tão sozinha
E parecia que era minha aquela solidão.

13 de set de 2012

Outubro vai chegar e todos irão se animar!

Falta menos de um mês para as eleições municipais e, para entrar no clima, que tal uma musiquinha da banda Cóccix? [Eu me dei ao trabalho de colocar um player na postagem para ouvir a música, espero que apareça. E como fui eu quem digitou a música (pois não encontrei a letra na internet), podem haver (vários) erros (porque eu sou meio surda e às vezes não entendo o que o vocalista canta, mas enfim...)]
Cóccix - Matar o Prefeito by marianebach

Prefeito - Cóccix

A podridão das ruas, a mesma coisa de sempre,
procurando culpados, culpando inocentes.
Mas outubro vai chegar e todos irão se animar!
Cartazes pelos postes, sua poesia na tv,
frases de efeito eu me emociono ao ver.
Mas seus problemas vão acabar,
se seu voto fosse adiantar.

Você estufa seu peito
e mente com todo respeito.
Criminoso roubou pra ser eleito,
eu quero matar o prefeito!

Foi na casa da vizinha e mostrou suas propostas,
lembrou de anos passados, viu que era a mesma bosta,
mas deu sua contribuição,
vendida elegeu mais um ladrão.

Policiou as ruas, reprimiu a juventude,
não sabe onde foi parar a verba da saúde,
mas sabe como comandar, nas ruas não podemos andar.

Você estufa seu peito
e mente com todo respeito.
Criminoso roubou pra ser eleito,
eu quero matar o prefeito!

Operários escravizados numa multinacional,
enchendo o seu bolso, incentivo fiscal.
Mas acho que eu não vou aguentar,
chegou minha vez de errar!

Cidade parada, pessoas indignadas,
sem aula nas escolas, será que é feriado?
Mas vieram me avisar,
o prefeito conseguiram matar!

Você estufava seu peito,
mentia com todo respeito.
Criminoso roubando foi eleito,
Fui eu quem matei o prefeito!

Eu matei o prefeito e ignorei, perdi o respeito!
O ódio não aperta mais meu peito!
Fui eu que matei o prefeito!
Eu matei o prefeito!
Eu matei o prefeito!

6 de set de 2012

De Tarantino a Manuel Bandeira.

Hey people! Estou viciada nessa música chamada Girl, you'll be a woman soon. Ela faz parte da trilha sonora do filme Pulp Fiction (Tempo de Violência), do famoso diretor Tarantino, lançado em 1994. Filme este, que eu ainda não olhei, mas vou assistir em breve, em breve....E vocês não sabem o que a criatura esperta aqui fez. Eu fui na locadora pegar um filme para assistir amanhã com as minhas amigas, e resolvi perguntar se tinha esse filme. Aparentemente "tinha". O que acontece é que cheguei em casa e é claro que não era o filme! A pessoa aqui locou o filme Tempos de Violência e não Tempo de Violência. É isso mesmo meus queridos seres com tele-encéfalo altamente desenvolvido e polegar opositor, um "S" no fim faz uma puta diferença! shaushuahsau  - Eu não sei porque loquei essa bosta, eu sabia, no fundo do meu coração, que um filme de 1994 não poderia ter em DVD, afinal, em 1994 a gente usava vídeo K7, mas beleza, eu cheguei em casa e comecei a rir (talvez eu não tenha um tele-encéfalo altamente desenvolvido). Agora só me resta assistir ao filme e rezar para ser uma daquelas situações do destino em que o equívoco acaba sendo satisfatório. 

Então tá né, escutem a música, viciem-se (ou não), assistam ao filme (ou não), sejam felizes (ou não), que eu vou embora pra Pasárgada, lá sou amiga do rei, lá tenho o homem que eu quero, na cama que escolherei! Oh yeah! (Acho que era assim o poema do Manuel Bandeira né?)  :P



Girl, you'll be a woman soon - Urge Overkill
...
Eu te amo tanto não poderia dizer o quanto,
eu morreria por você menina, e tudo o que eles conseguem dizer, é:
"Ele não faz seu tipo"
Eles nunca se cansam de me criticar
Eu nunca saberei, quando chegar,
o que vou encontrar,
Não os deixem fazer a sua cabeça
Você não sabe...

Menina... Você será uma mulher... Logo
Por favor... Venha pegue minha mão.
Menina... Você será uma mulher... Logo
Logo... você precisará de um homem.
...

Desenhos :)

Olá! Esses são alguns desenhos que fiz com caneta azul. Os dois primeiros inspirados no filme O Fabuloso Destino de Amelie Poulain e o terceiro no filme O Labirinto do Fauno. É isso. Beijo, tchau.





5 de set de 2012

Decoração do quarto.

Olá seres humanos! Hoje vou mostrar alguns novos elementos decorativos do meu quarto (que eu já mostrei no post: "Meu Quarto [Antes e Depois]"). 

Eu sempre achei legal isso de pendurar uma placa de carro no quarto. Então, num dia qualquer, sem mais nem menos, eu vejo uma placa velha atirada em um canto da minha casa (nesse momento meus olhos brilharam *-------*)! A placa é de São Leopoldo, minha cidade natal. Coloquei ela logo abaixo do disco do Bee Gees. 





Mudei as frases que havia escrito na parede preta.




Quando bebo Ice sempre sobram aquelas garrafinhas bonitinhas, daí resolvi tirar o rótulo delas, fiz um coração e o símbolo da paz com cola-quente, para ficar em relevo, e a intenção era pintar tudo com tinta para ficar, mais ou menos, como na foto abaixo:


Mas eu acabei não pintando e deixando transparente mesmo. Fiz (ou melhor, a Carol fez) algumas flores de papel crepom branco para colocar dentro e ficou assim:


Também fiz mais alguns desenhos para colocar na parede, mas isso eu mostro em outra postagem. Beijos.

2 de set de 2012

Desenhos de uma aluna que se distrai.

Sabe quando você, ao invés de prestar atenção na aula, começa a desenhar no caderno? Pois é, eu faço muito isso. [ Principalmente na aula de Bioestatística! ]







É você.


É você
Só você
Que na vida vai comigo agora
Nós dois na floresta e no salão
Nada mais
Deita no meu peito e me devora
Na vida só resta seguir
Um risco, um passo, um gesto rio afora
É você
Só você
Que invadiu o centro do espelho
Nós dois na biblioteca e no saguão
Ninguém mais
Deita no meu leito e se demora
Na vida só resta seguir
Um risco, um passo, um gesto rio afora
Na vida só resta seguir
Um ritmo, um pacto e o resto rio afora.

(É Você - Tribalistas)