7 de jul de 2011

Simplesmente Drummond

Não rimarei a palavra sono
com a incorrespondente palavra outono
Rimarei com a palavra carne
ou qualquer outra, que todas me convêm.
As palavras não nascem amarradas,
elas saltam, se beijam, se dissolvem,
no céu livre por vezes um desenho,
são puras, largas, autênticas, indevassáveis.

Carlos Drummond de Andrade
(Trecho de "Consideração do poema", do livro A Rosa do Povo.)

Nenhum comentário: